sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Dama



Era seu aniversário e nem te liguei, comemorei gemendo, já sem calcinha, na cama de um antigo vizinho. Você sabe que meus impulsos são meras fugas carnais, vãs, lembranças que nunca tive com seu corpo. Jurei-te amor incondicional, comprei véu e grinalda, aprendi receitas de bem-casado, sempre tinha sua cerveja sagrada na geladeira, mas nada lhe era suficiente. Sempre me pressionando, perguntando nomes e endereços. Pra quem me perfumava, o porquê das unhas tão vermelhas, ou até mesmo, de onde surgiram esses três hematomas na virilha tão branca e tão impura. Lembro do dia que chamou-me de puta cuspindo
rancor, e quando desesperada sorri respondendo que gozava com eles lembrando do seu cheiro, se zangou.



Quase um texto-resposta pra Lady de Darlan C. no palavrasobliquas.wordpress.com

2 comentários:

  1. E que as cortinas dos pudores caiam mais vezes.

    ResponderExcluir
  2. Melhor ilustração de texto que esse blog já viu, haha.

    ResponderExcluir